| 22/9/2009 às 9h39 - Atualizado em 22/9/2009 às 11h58

Bandidos fazem taxista refém, usam carro para roubar e são presos

TV Vitória
Redação Folha Vitória

Foto: Reprodução TV Vitória
O taxista conta que sentiu medo e achou que iria ser morto pelos bandidos
Mais um caso de violência contra taxista ocorreu na noite desta segunda-feira e, por pouco, não termina mal. O crime poderia ter tido um final trágico, se não fosse a atenção de um outro taxista que trabalhava no mesmo ponto que a vítima do sequestro-relâmpago.

O motorista foi feito refém por dois assaltantes no bairro Carapina, na Serra, e ficou preso em um matagal com um dos bandidos enquanto outros criminosos usavam o carro dele para assaltar uma loja. Graças à denúncia de um outro taxista, colega da vítima, o plano dos bandidos acabou mal e eles foram presos.

O taxista não quis se identificar, mas contou o que sentiu no momento do assalto. "Eu senti medo. Achei que ia morrer, que ele ia me matar. Poderia acontecer". A vítima disse ainda que sentiu que seria assaltado, já que um colega de profissão, que estava com o veículo parado no mesmo ponto que ele, próximo ao Pronto Atendimento de Carapina, na Serra, negou a corrida aos passageiros.

"Eles entraram no meu carro e eu não posso fazer ninguém sair do táxi. Não poderia discriminá-los, então eu levei. Mas eu já sabia que eles iam me assaltar", contou o taxista.

O taxista deixou o ponto com dois dos bandidos. De lá, eles seguiram para o bairro André carlone, onde mais três homens entraram no carro e o assalto foi anunciado.

"Em André Carlone entraram mais três caras e mandaram eu rodar até no cemitério. Dois minutos depois, saiu um assaltante do banco de trás, anunciou o assalto e mandou eu sair do carro. Aí eu saí e ele mandou eu ir correndo para o meio do mato com ele. Os outros quatro caras fugiram com o carro", explicou.

Foto: Reprodução TV Vitória
O posto do Banesfácil por pouco não foi assaltado após o sequestro do taxista
No matagal para onde foi levado por um dos bandidos, o taxista revelou que um outro assaltante esperava por eles. Os outros bandidos seguiram em direção a um posto do Pague Fácil, no bairro Feu Rosa, na Serra, com a intenção de assaltá-lo. Devido ao movimento de pessoas na região, mudaram de plano, pararam com o táxi em frente a uma loja do bairro e fizeram o proprietário refém enquanto roubavam a mercadoria.

O proprietário do estabelecimento foi ameaçado de morte pelos bandidos enquanto era feito refém. "Eles chegaram e apontaram a arma anunciando o assalto. Mandaram eu entrar no provador, sentar no chão e colocaram a arma engatilhada na minha cabeça e disseram que se eu mexesse ele dava um "pipoco" na minha cabeça", relembrou o dono da loja.

Foto: Reprodução TV Vitória
Por causa do movimento, os assaltantes preferiram assaltar a loja ao lado
Mas o plano deu errado, enquanto roubavam a loja, um amigo do taxista percebeu que o colega não voltava para o ponto e avisou à polícia. Um policial militar que estava na praça onde a loja se encontra ouviu o chamado pelo rádio e viu que um táxi com as mesmas caracteríristicas tinha acabado de sair do local. O militar foi ao estabelecimento para ver do que se tratava e descobriu o assalto.

Os criminosos ainda estavam no bairro quando foram cercados pela polícia. Os bandidos estavam com a mercadoria roubada e, depois de questionados, informaram a localização do taxista. Porém, quando a Polícia Militar chegou ao local, os outros dois criminosos que estavam com o motorista fugiram. Já o restante do grupo foi encaminhado ao DPJ de Laranjeiras, onde o amigo do taxista que avisou à polícia fez um apelo.

"Da mesma forma que a gente é vigiado pelo departamento, se houver um arranhão no carro, um pneu careca, a gente é notificado, eu peço a eles também que passem a brigar por nós, taxistas, que a família está em casa esperando um retorno. Então, esse é o apelo que eu faço: que o departamento de táxi ou as autoridades competentes façam algo por nós", desabafou.

A Rede Vitória faz parte do
4Ps Todos os direitos reservados © 2007-2014