Apesar de adversários, Colnago não vê problema em dividir Governo com PT

Entrevista com César Colnago

Com o mesmo tom filosófico utilizado pelo governador Paulo Hartung (PMDB), o vice César Colnago (PSDB) afirmou que não se cansará de buscar a convergência de ideias em prol da sociedade capixaba. Em entrevista ao jornal online Folha Vitória, o tucano comentou sobre a relação com adversários políticos dentro do mesmo Governo, como é o caso do PT, que indicou o ex-prefeito João Coser para a secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb). 

Confira abaixo a entrevista: 

Folha Vitória: Como serão os próximos quatro anos de governo no Espírito Santo

César Colnago: Serão anos de muitos desafios e a política é instrumento importante que deve ser utilizado para atender a sociedade. Precisaremos de um consenso para viabilizar os direitos individuais e coletivos. Junto com o governador Paulo Hartung estou cheio de gás para trabalhar e servir.

FV: Qual o principal desafio?

CC: O principal desafio é o de apresentar um Estado que tenha serviços de qualidade. E a educação será o principal vetor desse desafio. Será uma mola fundamental. Sabemos que a educação não resolve tudo, mas tem um papel fundamental no desenvolvimento da sociedade em geral. Uma população culta e preparada tem nas mãos um instrumento de modernidade que é o acesso ao conhecimento.

FV: O senhor irá ocupar alguma secretaria? Será criada alguma secretaria para que o senhor a assuma?

CC: Conversei muito com o nosso governador Paulo Hartung e chegamos à conclusão de que precisamos de alguém que trabalhe dois elementos fundamentais. Teremos uma coordenação da área social, tentando fazer com que o governo tenha uma integração nas ações voltadas para as políticas públicas. Desenvolveremos um programa que integre a Secretaria de Ações Estratégicas e o Instituto Jones dos Santos Neves, por exemplo. Vamos integrar os territórios com maior nível de conflito. Vamos integrar a Escola Viva, o acesso à saúde, capacitação dos jovens, desenvolvimento dos esportes e das artes, dando materialidade ao conjunto de ações. E a outra atividade é a interlocução com a sociedade. Queremos que a sociedade participe e opine. Estaremos atentos aos movimentos sociais e as organizações civis para que possamos acertar nosso planejamento de acordo com as demandas vindas da sociedade.

FV: O PSDB e o PT são adversários históricos. Como será a relação dentro do governo, já que o Partido dos Trabalhadores possui um secretário na equipe?

CC: Fizemos politicamente essa conversa com o governador. O PSDB é um aliado de primeira hora. Temos o Paulo Ruy, o Guerino Balestrassi, o Anselmo Tozi, o Renzo [Colnago] que é um jovem promissor na Prodest, a Luciene Becacici, então o PSDB está bem representado no governo. Além disso, o PSDB e o PT são adversários nacionalmente, mas já aconteceu, até mesmo aqui em Viana, dos dois partidos serem aliados. O Paulo decidiu compor uma equipe política e técnica, então isso não será problema.

FV: Como ficará o perfil articulador do vice-governador?

CC: O governador montou uma equipe ampla e o desafio é gigantesco e as tarefas muito complexas. Temos entendimento da pluralidade e da necessidade de promover a convivência das diferenças. Buscaremos a convergência, criando consensos. Ouvir será muito importante. Queremos viabilizar os projetos da sociedade. Diferente do que acontece nas empresas, em que é a decisão de um que vale, no espaço público é necessário se fazer pactos para atender os anseios e apresentar os resultados esperados.

Jornal Folha Vitória
Todos os direitos reservados © 2007-2016